Notícias / Concursos e Empregos

BALANÇO

Pará gerou mais de 15 mil empregos no ano passado

Quinta-Feira, 24/01/2019, 07:27:49 - Atualizado em 24/01/2019, 07:29:39 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Pará gerou mais de 15 mil empregos no ano passado (Foto: Tarso Sarraf /Arquivo)
O bom desempenho do setor de serviços puxou a criação de milhares de vagas no Pará em 2018. (Foto: Tarso Sarraf /Arquivo)

O Estado do Pará fechou o ano de 2018 com saldo positivo de 15.286 empregos formais. De acordo com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese/PA), no ano passado foram feitas 272.549 admissões contra 257.263 desligamentos, com crescimento de 2,16% na geração de postos de trabalho. O levantamento tem como base as informações oficiais da nova Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

 Ainda de acordo com o balanço do Dieese, a maioria dos setores econômicos do Estado apresentou saldos positivos de emprego, com destaque para o Setor Serviços com a geração de 10.781 postos de trabalho, seguido do Setor da Construção Civil (2.057); Comércio (979); Setor Extrativo Mineral (696); Indústria de Transformação (549) e Agropecuária, com a geração de 281 postos de trabalho. O destaque negativo ficou por conta do Setor Serviço Indústria e Utilidade Pública com a perda de 33 postos.

Em dezembro de 2018, o Pará registrou 16.077 admissões contra 22.927 desligamentos, saldo negativo de 6.850 postos, com um decréscimo de 0,95% no número de empregos em relação a novembro.

A maioria dos setores econômicos apresentou queda nas contratações, com destaque para a Construção Civil com a perda de 2.887 postos de trabalho, seguido da Indústria de Transformação (1.648); Agropecuária (1.079); Setor Serviço (1.066) e o Setor Comércio (291). O Setor Extrativo Mineral apresentou saldo positivo com a geração de 180 postos.

A queda no número de empregos também colocou o Pará em destaque no Norte em dezembro, seguido do Tocantins (1.672); Amazonas (1.602); Acre (711); Amapá (564) e Roraima (327).

BRASIL

No acumulado do ano, o emprego celetista cresceu em todas as regiões do país. O Sudeste teve o melhor desempenho, com 251,7 mil novos postos (+1,27%), seguido pelo Sul (102,2 mil postos, +1,45%), Nordeste (80,6 mil postos, +1,30%), Centro-Oeste (66,8 mil postos, +2,14%) e Norte (28,1 mil postos, +1,65%).

Das unidades federativas, 23 registraram expansão do emprego. Os melhores resultados foram de São Paulo, com 146,5 mil novas vagas (+1,24%); Minas Gerais, com 81,9 mil (+2,10%); Santa Catarina, com 41,7 mil (+2,13%); e Paraná, com 40,2 mil (+1,57%). Apenas Alagoas (-157 vagas, -0,04%), Roraima (-397 vagas, -0,76%), Acre (-961 vagas, -1,23%) e Mato Grosso do Sul (-3,1 mil vagas, -0,61%) tiveram redução no saldo.

NÚMEROS

1º lugar - A geração de 15.286 postos de trabalho colocou o Pará em destaque na Região Norte, seguido do Amazonas (6.569); Tocantins (3.043); Rondônia (2.386) e do Amapá (2.235).

-961 - Foi o número de perdas de postos de trabalho do Acre, de janeiro a dezembro do ano passado, o que deixou o Estado como o destaque negativo da região. Roraima também fechou o ano no vermelho, com saldo negativo de 397 postos de trabalho.

28.161 - Foi o saldo positivo de postos de trabalho em todo o Norte, em 2018, uma vez que foram feitas 655.270 admissões contra 627.109 desligamentos, com crescimento de 1,65% na geração de empregos formais.

(Diário do Pará)





Comentários

Destaques no DOL