Notícias / Pará

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Cursos feitos só para homens? Não existem mais

Quinta-Feira, 08/03/2018, 08:07:51 - Atualizado em 08/03/2018, 08:07:51 Ver comentário(s) A- A+

Cursos feitos só para homens? Não existem mais (Foto: Maycon Nunes/Diário do Pará)
No Senai, os cursos que antes eram dominados por homens, agora têm cada vez mais a presença feminina. (Foto: Maycon Nunes/Diário do Pará)

De 2011 a 2017, houve um salto de 24% para 33% no número de mulheres matriculadas em cursos que antes contabilizavam uma maior participação de homens. De acordo com o levantamento feito pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), isso demonstra o crescimento da inserção da mulher em áreas tradicionalmente ocupadas por homens como as áreas automotiva, metalomecânica e construção civil. A área de metalomecânica, por exemplo, avançou de 445 matrículas em 2011 para 1.324 no ano passado. 

Ontem (7), véspera do Dia Internacional da Mulher, as organizações que compõem o Sistema Fiepa (Federação das Indústrias do Estado do Pará), como o Senai, o Serviço Social da Indústria (Sesi) e Instituto Euvaldo Lodi (IEL), promoveram, na sede da Federação, um dia todo dedicado as colaboradoras em um evento alusivo ao Dia da Mulher. “Antigamente não tinha mulher no Senai. Hoje tem mulheres estudando em todas as áreas”, destacou Dário Lemos, diretor regional do Senai, ao acrescentar que, em municípios do interior, como Paragominas, o número de mulheres matriculadas em cursos da organização é maior do que homens.

Auxiliar técnica do Senai, Raquel Nely vai colocar em prática os conhecimentos absorvidos nas oficinas. “Achei que não fosse gostar. Mas, quando cheguei aqui, achei muito interessante. Estou adorando tudo. Deu um problema na minha caixa de descarga do banheiro e vou sair daqui com dicas ótimas para resolver”, diz.

(Pryscila Soares/Diário do Pará)



Conteúdo Relacionado:





Comentários