Notícias / Pará

DA LAMA AO CAOS

A agonia de quem precisa passar pela Augusto Montenegro não tem data para acabar

Quinta-Feira, 07/03/2019, 21:09:15 - Atualizado em 07/03/2019, 22:51:30 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

A agonia de quem precisa passar pela Augusto Montenegro não tem data para acabar (Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)

Da lama ao caos, do caos à lama. O trecho desta emblemática canção de Chico Science e Nação Zumbi, feita nos anos 90, pode definir, e muito bem, a atual situação de quem precisa passar pela avenida Augusto Montengro, principalmente a partir da entrada do Tapanã. 

As obras do BRT, que já tiveram seu prazo de término adiado diversas vezes e que já custaram mais de R$ 400 milhões aos cofres públicos, obrigam a mudanças no trânsito quase diariamente. A falta de sinalização adequada, somada ao período de chuvas, tem deixado muitos motoristas sem saber o que fazer.

As vias destruídas (ainda mais) pelas obras são a única opção para quem vai da rotatória do Satélite até o terminal da Maracacuera, onde o BRT termina. O trecho tem causado sérios danos aos condutores. Muitos internautas relataram a situação. Quando chove, a via, que está repleta de buracos, é coberta pela água, e os motoristas precisam simplesmente “fechar os olhos” e rezar para não ficar pelo meio do caminho.

“Nesse período de chuva a situação piorou muito. A partir da entrada do Tapanã é o pior trecho. Não tem iluminação, sinalização, muitos motoristas ficam perdidos, alguns ficam pelo caminho, outros resolvem encarar a contramão ou a via inacabada do BRT. E não se vê um guarda, nada!” relata Pedro Gonçalves, condutor que precisa encarar todo o dia o trecho.

No final da tarde desta quinta-feira (07) a situação persistia. Uma das vias, no sentido Belém-Icoaraci, está totalmente encoberta pela lama. Alguns motoristas sobem improvisadamente na canaleta inacabada do BRT na tentativa de evitar passar pelo trecho. Alguns acabam até mesmo seguindo na contramão.

Percorrendo o trecho, a reportagem do DOL não viu nenhum agente de trânsito pelo local no horário entre as 18h e 19h. Muitos motoristas gravaram vídeos mostrando o caos da avenida. 

Veja:

Quando Fica Pronto o BRT?

Há 6 anos, as obras do Bus Rapid Transit (BRT) – que tem o objetivo de ligar São Brás a Icoaraci – se arrastam e tem causado inúmeros transtornos aos belenenses. Atualmente, os trabalhos ainda seguem na avenida Augusto Montenegro, a partir da entrada do bairro do Tapanã.

Naquele trecho, uma placa aponta para a execução de obras viárias na avenida no valor de quase R$ 321 milhões, quantia que recebeu aporte de mais R$ 38 milhões, conforme publicado no dia 29 de novembro no Diário Oficial do Município de Belém (DOM). Esse aumento de recursos para as obras, que iniciaram em janeiro deste ano, chama atenção para o prazo de conclusão do trajeto até Icoaraci, previsto para este mês, mas que está longe de ser cumprido.

De acordo com a publicação do DOM, o Termo de Apostilamento (Nº 05/2018 / Contrato 0152/2014) foi firmado pela Secretaria Municipal de Urbanismo (Seurb) em favor Consórcio BRT Belém, alterando o valor total remanescente do contrato de R$ 320.932.983,18 para R$ 359.371.189,81, voltado para o BRT – Augusto Montenegro.

Antes desse reajuste, um relatório realizado este ano pela Controladoria Geral da União (CGU) identificou superfaturamento de mais de R$ 40 milhões e um prejuízo de R$ 6 milhões no projeto do BRT sob a gestão do prefeito de Belém Zenaldo Coutinho. Uma série de irregularidades na execução da obra nos trechos das avenidas Almirante Barroso e Augusto Montenegro, como pagamentos por serviços que nunca foram realizados.

A prefeitura de Belém informou, através de nota, que está atuando na recuperação asfáltica da avenida Augusto Montenegro. As ações e os serviços seguem para atender novos trechos. Sobre o perímetro citado na reportagem, a prefeitura informou que será atendido pela operação "tapa buracos", mas sem especificar nenhuma data para início dos trabalhos. 

(DOL)

 

 

 

(DOL)





Comentários

Destaques no DOL