Notícias / Pará

IMPASSE

Motoristas de aplicativos ameaçam paralisar atividades nesta terça (18) em Belém

Segunda-Feira, 17/06/2019, 21:25:07 - Atualizado em 17/06/2019, 22:32:20 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Motoristas de aplicativos ameaçam paralisar atividades nesta terça (18) em Belém (Foto: Fernando Araújo/Diário do Pará)
(Foto: Fernando Araújo/Diário do Pará)

Motoristas de transporte de aplicativo ameaçam parar atividades nesta terça-feira (18) na capital paraense. De acordo com a categoria, a manifestação é contra o decreto da Prefeitura de Belém, que determina diversas regras para regulamentar a atuação deles na capital. Segundo eles, as determinações os deixam de mãos atadas para exercer a profissão. 

A categoria afirma que o prazo final para a regulamentação imposta pela prefeitura será amanhã (18) e que muitos motoristas não estão aptos para transitar, tornando-se assim, passivos a serem multados ou apreendidos. 

Em contrapartida, a Prefeitura de Belém alega que as mensagens que circulam pelas redes sociais, bem como datas e algumas regulamentações que os motoristas protestam, são com "objetivo de causar pânico e espalhar informações mentirosas". 

Para Anderson Clayton, motorista de aplicativo há oito meses, muitas das condições são injustas.

Segundo ele, o decreto determina uma série de regras para adequação tanto das empresas que administram os aplicativos, quanto para os motoristas, como a proibição de parar em locais públicos para pegar passageiros ou em locais próximos onde tenham pontos de táxi. Além de obrigá-los a usar uniformes para trabalhar. "Assim fica difícil sobreviver", afirma Anderson.

De acordo com a prefeitura, a relação institucional do órgão é diretamente com as plataformas, e não com os motoristas. E que os prazos são com datas suficientes para que os profissionais do trânsito regularizem sua situação. 

Anderson Clayton, afirma que nesta quarta-feira (18), muitos motoristas estarão em frente ao prédio que é responsável pelo aplicativo, no bairro do Marco e que vão aguardar uma posição. 

"Estaremos amanhã reunidos esperando uma resposta. Caso não tenhamos, vou ser bem sincero, vai ter briga e muita confusão no trânsito", comenta o motorista, indignado. 

Em nota, a prefeitura disse que "não há previsão ainda de fiscalização voltada especificamente ao trabalho de transporte por aplicativo", ressaltando que o dia 20 deste mês de junho é o prazo final para que as empresas que operam transporte de passageiros por aplicativo apresentem à Semob a relação dos motoristas que atuam em suas plataformas e a documentação exigida pela legislação federal e municipal.

Para Anderson Clayton, nem todas as exigências dos órgãos públicos são positivas. "A nossa reivindicação é que o tempo é curto demais. Vamos aderir à paralização porque precisamos de uma reposta. Eu entendo o lado da prefeitura, mas muita coisa do que foi colocada não sabíamos, e amanhã (18) muitos trabalhadores precisam trabalhar e não estão regularizados", conclui Anderson Clayton. 

Uma nova reunião ficou marcada para esta terça-feira, às 14h30, reunindo novamente o prefeito, representantes dos motoristas, da Semob, e mais representantes das plataformas, dos cursos de condução de passageiros e a Procuradoria Geral do Município.

(DOL)



Conteúdo Relacionado:





Comentários

Destaques no DOL